accca@clara-andermatt.com | +351 215 920 731

ACCCA

A ACCCA – Companhia Clara Andermatt é uma associação sem fins lucrativos criada legalmente em 1997 mas fundada em 1991.

O trabalho artístico de Clara Andermatt, coreógrafa que dá nome à companhia, tem crescido em maturidade e reconhecimento público, legitimado por múltiplas instâncias: o interesse dos coprodutores materializado em projetos concretos, a apresentação de trabalhos da companhia num grande e importante número de salas do país, o apreço da crítica, a adesão dos públicos, o respeito dos pares e o apoio e reconhecimento do nosso trabalho pelo Estado Português. A Companhia beneficia atualmente de relações profissionais e artísticas sólidas, que dão coerência e consistência ao trabalho que desenvolve, consolidando-a como estrutura de criação. A promoção da investigação, da experimentação, da formação, da criação e da inovação artísticas fazem parte da missão e da própria natureza das atividades da companhia.
Tendo sempre presente a dimensão da Arte como veículo privilegiado de comunicação e de valorização do Outro, o trabalho criativo de Clara Andermatt cultiva os laços com o território e com as suas comunidades. A ACCCA proporciona a outros criadores e a outras estruturas a possibilidade de realizarem residências no seu estúdio, num apoio que se estende em alguns casos à produção executiva e à divulgação das atividades de jovens artistas, procurando dar-lhes boas condições para o desenvolvimento do seu trabalho.
A formação é uma constante das linhas programáticas da ACCCA, contribuindo para promover a qualificação dos artistas e de outros agentes do sector. Materializa-se em diferentes formatos, por iniciativa da companhia ou em resposta a pedidos feitos por outras entidades. Abrange contextos de ensino vocacional, ações de formação para profissionais orientados por professores portugueses e estrangeiros, e pelos próprios processos criativos da coreógrafa, envolvendo artistas, intérpretes e técnicos de várias áreas.
O trabalho desenvolvido, em continuidade, em prol da Inclusão de públicos com deficiência, jovens e idosos deve também ser entendido numa ótica de prossecução de serviço público e o seu impacto tem tido consequências muito positivas a nível local, regional e nacional.